Boas práticas para utilização da centrífuga

Centrifugação

Os resultados e a eficácia em seus exames laboratoriais dependem de um fator muito importante que é a qualidade de seus equipamentos e centrífugas.

Ao trabalhar com equipamentos de qualidade em sua centrifugação, você cumprirá um requisito básico e minimizará risco à saúde se seus pacientes, evitando complicações que podem influenciar as amostras biológicas. Uma centrifugação incorreta ou incompleta pode fazer você perder amostras tendo que fazer uma recoleta, pode afetar dosagens hormonais ou aumento de índices de hemólise (alteração, dissolução ou destruição dos glóbulos vermelhos do sangue).

A maioria das análises laboratoriais em amostras de sangue, urina ou líquidos cavitários, sejam elas bioquímicas, imunológicas ou de coagulação, requer uma centrifugação prévia para separar o soro ou o plasma das células sanguíneas.

A Temperatura, tamanho do tubo utilizado na coleta de sangue, a força “g” que é a força gerada quando uma determinada massa é submetida a um movimento circular e o tempo de centrifugação, são fatores importantes para uma centrifugação eficiente.

Práticas Seguras em Centrifugação

As práticas seguras envolvem a seleção da centrífuga, os procedimentos adequados no manuseio e as manutenções preventivas.

Na seleção de novos equipamentos alguns fatores devem ser considerados como o desempenho, na sua capacidade necessária, na força centrífuga requerida.

Na segurança, sua mecânica, elétrica, risco de explosão ao trabalhar com materiais inflamáveis, ruídos, riscos biológicos, tampa com trava, função de desbalanceamento.

Assistência técnica e reposição de peças.

Equipamentos que cumpram os requisitos e sejam certificados e com registros na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Manutenção Preventiva

Recomenda-se que as centrífugas do laboratório sejam submetidas periodicamente à manutenção preventiva, com calibração e verificação das condições metrológicas para garantir seu correto funcionamento.

O plano de manutenção deve seguir as orientações do fabricante e ser do conhecimento de todos os envolvidos. Registros de todas as intercorrências e manutenções devem ser efetuados.

As inspeções periódicas precisam ser abrangentes, observando-se aspectos mecânicos (rotores, motor, tampa) e partes elétricas (verificação elétrica, refrigeração), quando aplicável. Ao ser finalizado o serviço, deve ser sinalizado o tipo de serviço realizado, quem efetuou e a data da próxima manutenção.

Fonte: Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) Coleta e Preparo de Amostra Biológica – Barueri, SP : Manole : Minha Editora, 2014.

Deixe uma resposta